Colecione momentos, não coisas


Um dia conheci uma criança. Umas figuras essas criaturinhas. Pra fazer amizade embrulhei em uma caixa de presentes um palito de fósforo. Queria ter a sensação da inocência novamente. A caixa era linda! Brilhante e cheia de cacarecos que a faziam ficar mais maravilhosa ainda, mas dentro era só um simples fósforo. 

 Me acheguei enquanto ela brincava e disse "tenho um presente pra você e é muito especial". Vi toda a atenção daquele serzinho se voltar para mim. Seus olhos brilhavam e suas mãozinhas envolveram o pacote com uma ansiedade que nem os assalariados tem no 5º dia útil do mês. 

 A caixa foi balançada, colocada ao ouvido, e aberta com todo cuidado do mundo. 

 Ao ver o fósforo, uma reação de surpresa. "UAAAAAU". E foi mágico! Ela agradeceu pelo presente como se tivesse ganhado um hipermegablaster robô de última geração. Passou horas a fio a brincar com um simples palito de fósforo. Ora era um avião, ora um tanque. Ora era uma colher, para misturar os banquetes feitos por ela, ora era um simples homem. E algumas vezes era apenas um palito. 

Certa altura da brincadeira o palito caiu no chão. Pensei que fosse se distrair e pegar uma das mil bonecas que tinha. Me enganei! Começou uma busca pelo palito e um chorinho. Com os olhinhos agora cheios de água ela pedia minha ajuda. "Meu presente, por favor, me ajuda". Eu não podia negar. 

Finalmente, em baixo do sofá, lá estava nosso avião-tanque-colher-homem. Lá estava também o sorriso da criaturinha e um dia inteiro de ocupação. 

 Nunca troque momentos por bens materiais. Foi o que eu aprendi com a ingenuidade da criança.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Não conte seus planos a ninguém, o segredo do sucesso é o silêncio

Lendo a bíblia em 90 dias

Conheça a banda: AMEN JR